Translate

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Desacelerando...






E faltam APENAS 129 dias para o Natal!! Iupiiiiiiiii

Aqui já se dá à agulha. Nada mais relaxante do que sentar numa tarde ensolarada (ou chuvosa), música boa tocando e ver os pontinhos saírem das nossas mãos. 

Tempo de reencontrar meu equilíbrio. De agradecer as dádivas que recebo. De ser grata.


Por ter amigos que são mais do que família e inspiram-me a fazer prendinhas personalizadas. No melhor estilo "homemade". 


Por ver que apesar dos tempos difíceis e dos obstáculos que nos aparecem, há sempre alguma coisa a florescer à minha volta. Aprender cada vez mais a estar atenta. Perceber os pequenos sinais que estão ali...Apreciar. Desacelerar.


Dedicar-me à família. Transformar os 2 Kg de tomates caseiros e biológicos em molho de tomate sem corantes nem conservantes. No melhor estilo saudável.



terça-feira, 9 de agosto de 2016

Das nossas férias

E depois de um período verdadeiramente conturbado, com muito stress, partimos de férias.

Fomos o mesmo período de todos os anos. A sensação dos 3 quando estavamos no último dia foi "este ano passou tão rápido!" 

Muito sol, relógios nas gavetas. Comida saudável, sem pressa...

Luísa fez a sua primeira aula de mergulho com tanque. Rapidamente nadava com desenvoltura a dominar as técnicas de respiração. 




Muitas caminhadas diárias. "pegar onda", pizza!!! :)


O tereré anual não faltou. Muitas horas passadas no kidsclub (as horas do "sol mau") com muitas artes pelo meio.
No fim, uma carta aos animadores personalizada. É uma querida a minha filhotinha...



Fizemos a promessa a nós mesmos de "desacelerar" e fazer várias "mini-férias" ao longo do ano.

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Mimar uma professora



Luísa foi finalista. Acabou o 4º ano. Vai sair da "turma dos mochos" e das asas da Professora Bianca.

Na festa de finalistas, preparei uma surpresa para a professora, pais e alunos. Mandei fazer uma cesta de vime em forma de coração. 



Fiz em feltro os alunos e a professora. Tentei realçar algumas características: tipo de cabelo, óculos...



As meninas


Ofereci  a cesta vazia, e pedi ajuda às crianças para "encherem o coração" da professora.

Os meninos


As crianças em fila. Um de cada vez ofereceu o seu boneco. Ao mesmo tempo que ofereciam diziam:
-"Guarda-me no teu coração."





A turminha toda



No final ofereci o bonequinho que representava a professora.

Professora Bianca



E a turminha dos mochos ficou completa.

Claro que foi uma choradeira enorme. Vou sentir saudades. 
A professora primária marca sempre, mas esta ficará para sempre nos nossos corações. 



Ontem, recebi um mail da professora que mais uma vez disse que adorou a prendinha. Que está exposta na sala e que mostra a todas as visitas. Missão cumprida! :)



domingo, 29 de maio de 2016

Filtro dos sonhos


Há uns tempos atrás, fiz um Workshop (mais um) com a Luísa de "Filtro dos Sonhos"

Passamos uma tarde animada a ouvir sobre a lenda e a tecer os nossos Filtros. Os nossos dreamcatchers.



Trata-se de um amuleto indígena norte-americano que terá o poder de purificar as energias, separando os "sonhos negativos" dos "sonhos positivos". 






Tradicionalmente tem a forma de um círculo. Uma espécie de teia feita com fios e uma abertura no centro, por onde passam os sonhos bons.  Deve ficar pendurado onde bata a luz do sol que elimina  os sonhos maus que ficaram presos na teia.


 Uma pena de ave (preferencialmente de coruja, por significar "sabedoria") é colocada debaixo da teia, assim como outras penas e adereços. A pena simboliza a respiração e o ar, elemento essencial para a vida.  


Todo o material utilizado é encontrado na natureza. Fios  encerados com cera de abelha. 
Sementes. Penas de aves. Cristais. 


A tribo indígena de onde surgiu o Filtro dos sonhos acredita que uma das principais missões das pessoas durante a vida é a de decifrar os sonhos, pois acreditam que trazem importantes mensagens sobre o funcionamento da natureza, do universo e da vida.



sábado, 30 de abril de 2016

Seguindo os passos da vovó


Embora adore trabalhos manuais, croché nunca foi algo que dominasse... 

Se em adolescente tinha aversão a tudo que levasse croché (talvez pelos inúmeros paninhos de tabuleiro que recebia de aniversário e Natal das minhas tias-avós), agora admiro bastante esse trabalho. Adoro todas as colchas, toalhas com quadrados de linho bordado interligados por trabalhos em croché, pegas de panelas, biquinhos de panos de louça, de toalhas etc feitos pela minha mãe, tias e avó.

Dos dias que trabalho e a minha filha fica com meus pais, a arte passou por mais uma geração (embora tenha "saltado" a minha). 


E assim a Luísa já fez um lindo vestido para uma Barbie e uma pega para a minha cozinha.

Delícia! Adoro... :)

domingo, 24 de abril de 2016

10 anos: tempo de reflexão

Abril é sempre um mês muito emotivo para mim. Nunca esquecerei as dificuldades e lágrimas que passei por conta da minha infertilidade. Não que tenha ficado amarga. Longe disso. 

Sou infinitamente grata

Impossível não ser grata pela dádiva da maternidade finalmente alcançada. Agradeço diariamente.

E lá vão 10 anos de coração cheio. 

Por este número "redondinho" resolvi que o tema seria: 

"10 anos: nasce uma estrela"



E assim comemoramos o aniversário da Luísa com o tema cinema. 











Direito a um filme animado pela música "Luísa" - dos D.A.M.A. e outro dos One Direction.






Decoração a condizer e uma filhinha feliz. 










A calçada da fama com o nome das crianças.



Cachorro quente, batatas fritas, pipocas, bolos, mousses, salgadinhos e docinhos... tudo para fazer a criançada feliz. 



Depois do "Parabéns a você", o tradicional "Fura-bolo" não poderia faltar! :)




segunda-feira, 18 de abril de 2016

E se fosse eu?


Luísa chegou do colégio na semana passada com a novidade...

-"Ainda bem que não estamos na Síria. Sabias que estão em guerra?
 Hoje fizemos um exercício. Tivemos que escrever o que levaríamos numa mochila se tivéssemos que fugir da guerra.

- O que levavas, filha?

-" Medicamentos, para o caso de ficar doente, garrafas de água, comida, roupa, mantas para o caso de fazer frio, a fotografia dos nossos passarinhos ( sabias que não podemos levar animais? Levava a fotografia deles para não ter saudades...), o meu tablet. 
Acho que escrevi mais coisas, mas agora não estou a lembrar-me..."

-Acho que fizeste boas escolhas, Luísa.

Entretanto alguém comenta as escolhas da Joana Vasconcelos... em tom crítico. (confesso que quando ouvi essas escolhas também fiquei algo estupefacta!

Luísa quis saber quais foram as escolhas da Joana V. Contei-lhe as que me lembrava. 

Ela ficou alguns segundos a pensar e disse:

-"Ela levava o que a faria feliz."

Pronto. Mais uma lição dada por uma criança de 10 anos. 
Ocorreu um erro neste dispositivo