Translate

segunda-feira, 28 de março de 2016

E agora?




Fiquei a pensar nas pequenas coisas que incutimos aos nossos filhos no dia-a-dia. 

Há alguns dias atrás, sem que ela percebesse, ouvi uma conversa entre a minha filha e uma amiguinha. Dizia Luísa:
-"Não faças aos outros o que não queres que façam contigo."
Quantas vezes ouvi e disse isso. Fiquei contente ao perceber como ela interiorizou essa lição.Seria um mundo tão mais fácil de viver se todos fizéssemos isso... 

Mas entretanto, somos apanhados de surpresa...
E quando nos fazem alguma coisa que sabemos de antemão que jamais faríamos a alguém?
E quando isso parte de quem não estávamos à espera? 


Como gerir em nosso coração essa tristeza e decepção? 
Recolhi-me. Sumi um bocado do mapa. Vou ficar a lamber as minhas feridas e dizer a mim mesma que não podemos exigir que os outros ajam como nós agiríamos se estivéssemos no lugar deles.

E o tempo passará e ficarei menos angustiada...


Dediquei-me às plantas, porque o outra força da natureza que me acalma ( o mar), estava longe e hoje chovia como se não houvesse amanhã! 

Diz a lenda que os cactos atraem todas as energias negativas que nos rodeiam. Como uma amiga minha anda a precisar de um floresta deles, resolvi personalizar um vasinho e oferecer-lhe.

ahhhhh, sim. Tem que ser oferecido. Senão não funciona! :)


Vida longa aos cactos! 


4 comentários:

  1. Infelizmente vai existir sempre que nos desiluda, e acho que nos vamos magoar sempre, mas acho que isso também nos prepara para lidarmos cada vez melhor com as expectativas que criamos em relação ao que nos rodeia. São momentos maus mas passam:-) beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim. Vão passando... :)
      Obrigada. Beijinhos

      Eliminar
  2. Sónia, não tenhas dúvida de que os nossos filhos ficam marcados pelo nosso exemplo, (seja bom ou mau). Os valores que lhes transmitirmos vão guiá-los pela vida fora mesmo quando nós não estivermos ao seu lado.
    Agora falando em decepções, esses baldes de água fria que por vezes recebemos de quem mais gostamos, são mais difíceis de aceitar e de digerir. Levam tempo a entender, a aceitar e a perdoar, já que esquecer raramente é possível. Mas é aceitando os outros como são que conseguimos relevar e subir os degraus que nos levam à maturidade. E não esqueças, depois da chuva vem o sol. Um abraço da Bombom

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo, querida Bombom. Sinto-me feliz por perceber que minha missão com a minha filha está a dar bons frutos. É um lindo ser humano. E aos poucos eu também vou serenar...
      Beijinhos

      Eliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo