Translate

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Nós, os pais!




Há uns tempos atrás, minha filhota passou uns maus bocados no colégio. Duas meninas, que andam com ela desde os 3 anos a reunirem-se e, literalmente,  massacrá-la. Ou a ignoravam, ou a contrariavam. Ela, triste, contava-me ainda no carro a caminho de casa. Um ano e meio disto! Um dia bom... dois dias maus...

Explicava-lhe, com um aperto no coração, que não deveria ligar-lhes. Que brincasse com outras crianças.

A situação piorou e Luísa contou-me que naquele dia tinha chorado à frente delas. Não só a ignoravam, como iam buscar a criança que estivesse a brincar com ela, para que ficasse sozinha. Chamavam-me nomes (que a minha filha vinha perguntar-me o significado) e cantavam músicas a ridicularizá-la. Tiravam-lhe das mãos os brinquedos.

Dei um basta! Liguei à mãe de uma delas ( já que até convivíamos fora do colégio e frequentávamos uns a casa dos outros). Ficou aparentemente consternada, a dizer que não admitia que a filha fizesse tal, a pedir-me desculpas etc... no dia seguinte liga-me simplesmente a dizer que a filha negou. E ponto final.

Conheço a minha filha, mas não bastasse isso, duas mães vieram ter comigo a dizer que as respectivas filhas contaram que as meninas Y e Z estavam a "ser más" para a minha.

Mail à professora e reunião formal a pedir intervenção urgente. Nunca me passaria pela cabeça que fosse um dia fazer queixa a um Colégio, onde à partida frequentam pessoas de boa formação, de meninas (!!!) de 6-7 anos! Isso tem um nome.. BULLYING!

Hoje estão a chamar nomes e a ignorá-la... daqui a 5 anos estão a esmurrar uma menina contra um muro e a por o filme na internet. É assim que começa. Não podemos deixar as coisas andarem. Acho qté que demorei a intervir...

Tenho a sorte, e benção, de ter um amor de menina. Não posso queixar-me das notas. São excelentes. Mas o que me aquece mais o coração é o texto final das avaliações. Desde a pré-primária até agora, educadora e professora, descrevem a minha filha como :
- amiga de todos
- protetora
- educada
- meiga ...

Trabalhei muito em casa a auto-estima da Luísa. Ajudei-a a ficar mais forte. Nunca mais tive queixas.

Não consigo deixar de pensar na mãe que lavou as mãos e não quis ver. A escola tem a sua função: ensinar. Nós pais estamos a EDUCAR. Para a vida. A criar cidadãos, seres-humanos. Não podemos nos demitir das nossas funções.

10 comentários:

  1. é a primeira vez que visito o seu blog, arrepiei-me com os seus post

    parabens, pela sua atitude
    nós pais nao podemos ficar calados e quietos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada! Mas ainda fico a pensar que devia ter reagido mais cedo.. teria poupado muitos dissabores à minha pequena... :)

      Eliminar
  2. De facto é uma situação preocupante; infelizmente cada vez mais comum e começa cada vez mais cedo :(
    Louvei a sua atitude, parabéns! ***

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada... doeu... fiquei com o coração pequenino. Mas cheguei a uma conclusão. Aquelas 2 meninas morrem de inveja da minha. Como sabem, ando sempre a fazer trabalhinhos manuais, bolos decorados. Vou com regularidade ao colégio participar de atividadese, sempre que posso, vou buscar a Luísa para almoçarmos e trago um amiguinho. Adivinhem... a líder das meninas agora anda a suplicar à minha para vir almoçar conosco... e pergunta-lhe porque eu não deixo e não "gosto dela". Já levou o recado: gosto de todos. Não gosto é das atitudes. Ou ela muda, ou nada feito. A minha filha? Anda feliz e confiante. alívio.... :)

      Eliminar
    2. Imagino o alivio da sua filhota! :) O pior já passou!

      Eliminar
  3. grande mamã. Os meus parabéns pela atitude. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. obrigada :)
      Vamos ver se os resultados persistem.... :)

      Eliminar
  4. UAU! Fiquei um tanto quanto chocada com a historia. Fez bem em intervir e na duvida, antes tarde do que nunca. A escola tem que ter conhecimento , e os pais da outra criança tb. se tomaram uma atitude bom pra eles, se nao, que arquem com o futuro.Acho que quando a criança tem liberdade pra falar como foi seu dia, seja bom ou ruim, com os pais, esteja certa que vc esta no caminho certo. a confiança entre pais e filhos define o futuro só podemos amparar , estar ao lado e ajudar a viver da melhor maneira possivel, aprendendo a lidar com as pedras no caminho.
    Fico feliz que vc seja uma mae tao "antenada"! Parabéns!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada! Com a filha que tenho, é fácil :)
      Ela é muito querida, e conta-me mesmo tudo! Meu marido é que diz que não tem chances de abrir a boca pq estamos as duas sempre a tagarelar...rsrsrsrsrs :)

      Eliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo