Translate

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Minha filha é uma fada



A.M.O ser mãe. Nasci para isso.
Não sei se erro mais do que acerto, mas a verdade, é que vivo pela minha filha.

Adoro crianças (sou pediatra) e meu sonho sempre foi ser mãe ( de preferência de menina). Quando conheci maridão, combinamos ter 3 filhos ( o que cabia no banco de trás do carro...rsrsrs). Dois biológicos e um adotado.

Assim que casamos, tentamos nos inscrever para adoção, mas aqui em Portugal é necessário um casamento de 4 anos (dizem eles - casamento estável!!!) para dar entrada na papelada. Entretanto, resolvemos que voltaríamos "grávidos" da lua-de-mel. Pois sim...  A INFERTILIDADE nos apanhou... meses de medos, choros, desilusões e angústias. Muitos tratamentos e um prognóstico reservado. No dia da minha consulta para fazer a quarta microinjeção invitro... estava GRÁVIDA! 4,5 anos já tinham se passado. Foram 2 dias de felicidade plena, até que... comecei a sangrar. Mais problemas, infecções... toda a gravidez de cama... Não pude desfilar minha barriga linda.  No dia 5 de abril de 2006 minha filha nasce, linda e saudável, às 37 semanas com 3560g! Um bebezão. E tem sido minha alegria, meu orgulho, minha fada!

A adoção?? Bem.. ainda nem 1 ano Luísa tinha, as assistentes sociais tentaram nos fazer desistir. Estávamos a ser "egoístas" por manter o desejo de adotar pois já tínhamos uma filha e tirávamos a vez a um casal infértil. Mantivemos nosso desejo. Não somos nós os errados, por querer receber mais um filho, e sim o "sistema" que tem centenas de crianças institucionalizadas mas que não estão para adoção. À espera que a família biológica permita a adoção... ficam lá anos...

Finalmente desistimos, quando a assistente social nos deu a entender que elas estavam a nos deixar sempre para trás e a dar preferência a casais sem filhos...

Ainda sinto o vazio de não ter essa criança conosco... só espero que um dia as leis mudem. Ponham as crianças para adoção com mais rigor... são tantos casais à espera de uma criança para amar... tantas crianças à espera de pais que as protejam...

3 comentários:

  1. UAU...é uma historia linda.Por um lado a bençao te ter tido um filho gerado no proprio ventre e por outro a tristeza de ter amor e condiçoes de ter mais um gerado no coraçao e o sistema,a burocracia nao o permitir.Ha tantas e tantas crianças crescendo em orfanatos,cheias de esperança que seus pais cheguem e de repente atigem a maior idade e saem de la pra vida por ja nao terem idade pra estar la...e na outra ponta da linha da burocracia, pais querendo acompanhar este crescimento... que leis estranhas.
    Que Deus abençoe sempre esse amor que ha em vc e te deu meios de cuidar de varias crianças alem da sua, a profissao, bjs

    ResponderEliminar
  2. Que relato tão bonito :)
    Gostei do teu comentário :) Claro que podemos ser amigas, quem sabe, não é?! Beijinhos.

    ResponderEliminar
  3. Obrigada queridas! Beijos no coração!

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo